Aplicativos e redes sociais que vão começar a vender bitcoin

Plataformas planejam recursos para permitir comercialização de criptoativos para usuários

O mercado de criptomoedas está crescendo bastante no Brasil e tem no bitcoin, a criptomoeda mais popular e valiosa do mercado, seu principal trunfo para se expandir no país. Para se ter uma ideia, os brasileiros negociaram cerca de R$ 154 bi em 2022, segundo dados da Receita Federal.

Com o crescimento, diversos aplicativos e redes sociais já estão se adaptando para permitir aos usuários comprar e vender criptomoedas com alguns cliques. Hoje, é possível investir e até fazer compras em alguns aplicativos utilizando seu saldo de bitcoins. Fizemos uma lista com diversos aplicativos e redes sociais que estão começando a vender bitcoin no país, confira.

MagaluPay

O MagaluPay, aplicativo da rede Magazine Luiza, está se preparando para começar a comercializar criptomoedas dentro da plataforma. Ainda sem data de início, a nova funcionalidade deve permitir a negociação de, pelo menos, três criptoativos ainda não divulgados.

Em comunicado à imprensa, o diretor comercial e de novos negócios da Magalu, Leandro Hespanhol, ressaltou que esse deve ser o primeiro contato de muitos clientes do aplicativo com o universo das criptomoedas. Hespanhol também enfatizou que será possível começar a investir em criptomoedas a partir de R$ 1.

A Magalu fechou parceria com o Mercado Bitcoin para realizar a intermediação e a custódia dos ativos transacionados no app, que conta com mais de 37 milhões de usuários ativos.

Nubank

No final do primeiro semestre do ano passado, a Nubank lançou o produto Nubank Cripto. Por meio de parceria com a Paxos, os quase 75 milhões de clientes da fintech poderão comprar e vender criptomoedas como o bitcoin e o ether. A funcionalidade já se encontra disponível para todos os clientes da empresa.

É possível comprar bitcoin a partir de R$ 1 no aplicativo do Nubank. Correntistas do Nu podem comprar criptomoedas usando o saldo da conta na aba “Cripto”. A venda de bitcoins e de outras criptomoedas também podem ser realizadas pelo aplicativo.

Méliuz

O Méliuz, serviço pioneiro no mercado de cashback no Brasil, também está entrando no mercado de criptomoedas. Atualmente, os usuários do aplicativo podem comprar e vender bitcoins dentro da plataforma a partir de R$ 1 em poucos cliques.

Para facilitar a vida dos usuários, a plataforma disponibilizou o recurso “Criptoback”, que permite o resgate de cashback de compras em bitcoins, sem taxa adicional para os usuários. O cliente pode investir a partir de R$ 1, basta ter um saldo de, no mínimo, R$ 20 no aplicativo.

99 Pay

O app 99 Pay também lançou um recurso que permite a compra e venda de bitcoins na plataforma. O novo serviço foi lançado no final de 2022 e deve ainda permitir o resgate de cashback em criptomoedas. A carteira digital ainda oferece diversos artigos para ajudar os usuários a aprender como investir e lucrar com bitcoin.

Os usuários podem comprar e vender bitcoin em poucos cliques dentro do 99 Pay. É possível comprar bitcoins a partir de R$ 10 no aplicativo. No caso de cashback, a expectativa é que seja possível o resgate em bitcoins de cashback no pagamento de boletos e outras compras no app.

BitClout

O BitClout é uma nova rede social que promete pagar usuários com criptomoedas para postar na rede. A plataforma está conectada à blockchain DeSo (Decentralized Social), o que permite que a rede social seja descentralizada, e presenteia usuários com criptomoedas e tokens após fazer o cadastro, postar e ganhar seguidores.

Além de postagens e interações sociais, a rede também permite a negociação de criptomoedas na plataforma, com o intermédio de corretoras. Os usuários cadastrados no BitClout têm acesso à sua wallet (carteira) para realizar as transações dentro da plataforma.

A expectativa é de que cada vez mais aplicativos e novos projetos surjam com recursos voltados à comercialização de bitcoins e de outras criptomoedas. Num universo que cresce, mesmo com as oscilações do mercado, a tendência é que os bitcoins passem a fazer parte da nossa vida nos próximos anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + dezesseis =